Como fazer amigos e permanecer saudável



Olá, mamães e papais!


Nesta semana vamos falar sobre a Saúde dos nossos bebês (e crianças), com a ajuda do médico e consultor da Escola Céu de Brigadeiro, Dr. Rodrigo Vieira (CRM 5913) - que vai participar do Blog sempre que esse for o assunto.


Em especial, vamos iniciar este tópico falando justamente sobre o começo das aulas das crianças e a maneira que isso está relacionado à Saúde delas.


Como vocês já devem saber, é comum que bebês e crianças que passem a ter contato com outros bebês e outras crianças tenham mais infecções do que quando ficavam apenas em casa, em contato com a família. De acordo com o nosso médico isso é perfeitamente normal.


"Nesse período da vida, a imunidade das crianças não está totalmente desenvolvida, então é normal que, em contato com vírus e bactérias de outras crianças, elas tenham algumas infecções", explica o nosso médico.


Mas o que significa isso de "imunidade não desenvolvida"? Sabe aquele fragmento de conhecimento popular que fala que "tal coisa cria resistência"? Pois é. Ele está certo.


"O sistema imunológico é desenvolvido mediante estímulos de agentes infecciosos, como bactérias e vírus, então o contato da criança com esses agentes precocemente lhe confere um tipo de memória imunológica, que vai proteger ela no futuro"


Ou, em outras palavras, o nosso corpo aprende a se defender dos vírus e bactérias que conhece, por isso é natural que as crianças que frequentam escolinhas apareçam em casa com algum tipo de infecção ao longo do ano. Mais que isso, é até útil para o corpinho delas aprender a se defender.


Ainda assim, é preciso ter cuidado.


"A maioria das infecções contraídas na escola são virais e vão se resolver sozinhas, mas usar remédios que aliviam os sintomas e manter a hidratação são formas de dar aquela ajudinha para o corpo e evitar o desconforto das crianças"

Além disso, pedimos ao nosso médico que listasse alguns sintomas que merecem mais atenção, para que os pais saibam quando é bom procurar por um profissional da saúde. Ele listou os seguintes:


  • Febre alta, entre 39 e 40 graus, especialmente se não conseguir aliviar com remédios antitérmicos

  • Sonolência

  • Irritabilidade

  • Choro persistente

  • Respiração rápida ou dificultosa

  • Diarreia prolongada

  • Lesões na pele


Então, em resumo, se eu filho ou filha ficar um pouquinho doente quando começarem as aulas, não se preocupe, é normal. Inclusive, é parte do desenvolvimento dele. Fique de olho nos sintomas e dê bastante água, e tudo ficará, mas se precisar, dê um pulinho no pediatra.



Como a escola pode prevenir doenças infeciosas?


Dia de treinamento sobre saúde com o Dr. Rodrigo

Tudo bem que seja normal, mas ver qualquer criança doente dá aquela dor no coração, mesmo quando é só um resfriadinho. Por isso, as escolas podem tomar algumas medidas para evitar a disseminação dos tais agentes infecciosos.


"O primeiro passo são instalações arejadas. Isso permite que o ar circule e jogue os vírus e bactérias pro lado de fora. Também é importante que haja um profissional exclusivo para a manipulação de alimentos e que todos lavem a mão de maneira adequada", destacou.


O médio também recomenda um local específico para a troca e descarte de fraldas usadas. No caso da Céu de Brigadeiro, as crianças são trocadas em um colchonete de tecido impermeável, que é desinfetado com álcool 70 após cada uso. Esse colchonete é apoiado em um balcão de PVC, próprio para ser limpo e desinfetado após cada uso também.



Céu de Brigadeiro

Na nossa escola, além de seguirmos a risca as recomendações do Dr. Rodrigo, aplicamos alguns protocolos para garantir a saúde e bem estar dos alunos.


O mais importante deles é o diálogo com os pais. A escola entra em contato sempre que percebe algum sinal de alteração na saúde da criança, relatando com detalhes o que foi visto.


"É fundamental que as escolas mantenham um diálogo aberto e franco com os pais, para não haver desencontro de informações e expectativas não atendidas, o que pode colocar a saúde do aluno em risco"

Medicações podem ser administradas na Céu de Brigadeiro, desde que apresentada receita médica a autorização dos pais por escrito.


Mas o Dr. Rodrigo deixa claro: "Crianças que apresentam qualquer enfermidade passível de ser transmitida em ambiente escolar devem permanecer em casa até que liberadas pelo pediatra".


Esperamos que o texto tenha ajudado a esclarecer algumas dúvidas sobre saúde, mas sabemos que é um tópico cheio de curiosidades, então, se quiserem saber mais qualquer coisa, deixem uma pergunta aqui nos comentários, ou mandem para o nosso e-mail contato@escolaceudebrigadeiro.com.br


Obrigada e até a semana que vem! :)

40 visualizações

Fale conosco, ou venha nos visitar. Estamos à disposição para responder quaisquer dúvidas que você, ou seus filhos possam ter.

(65) 2129-4603

contato@escolaceudebrigadeiro.com.br

Rua Pedro Biancardini (antiga Rua Caracas), nº 84

Jardim das Américas - Cuiabá

CEP 78060-597