Mentirinhas - Como agir?



Olá, mamães e papais,


O assunto desta vez é inacreditável! Isso mesmo, vamos falar das mentirinhas que as crianças nos contam.


A princípio, pode soar estranho. Costumamos ver nossos pequenos como verdadeiros anjinhos de amor e carinho, porém todas as crianças mentem e desde uma idade bem pequena. Mentir só é possível graças ao desenvolvimento cognitivo do sujeito, então não há nada de errado com isso - psicologicamente falando.


No entanto, sabemos que, em algumas situações, isso pode assustar - e muito - os pais, então vamos mergulhar um pouco mais fundo nesse assunto e até mesmo trazer algumas dicas ao final deste texto.


Só não vale pular direto para o final, porque as explicações no meio são importantes… e eu vou saber se vocês fizerem isso, não adianta mentir.


O que é a Mentira?

Segundo o dicionário Oxford, "mentira" é uma afirmação contrária à verdade, a fim de induzir ao erro. Ou seja, sempre que contamos uma mentira, estamos tentando enganar outra pessoa, ora para nos proteger, ora por razões um pouco mais difíceis de explicar.


Em inglês, é bastante comum o uso do termo "white lie" (mentira branca) para se referir a mentiras que não causam maiores problemas ou danos a ninguém. Mentiras por educação, ou para proteger nossa privacidade.


Mentir, por exemplo, que vocês deram risada lendo as piadas ruins que eu coloquei no começo do texto. Ou, em exemplos mais infantis, quando a criança diz que gostou de ganhar meias de presente, ou ainda dizer que está com alguma dor para tentar ficar em casa com a mamãe/papai/vovó/vovô/cachorro.


Entretanto, existem mentiras que podem causar problemas para adultos e crianças. A lista dessas é longa e todos conhecem bem. É com essas que devemos nos preocupar - mas sem exageros.



E as crianças?

De acordo com a teoria construtivista de Jean Piaget, com cerca de 2 anos, as crianças iniciam a chamada fase "pré-operacional", marcada pelo forte pensamento egocêntrico, onde há dificuldade em compreender o que é exterior a ela, bem como o ponto de vista de outras pessoas.

É nessa fase em que a mentira começa a aparecer.


Pensamento egocentrico significa que a criança ve a si mesmo como o centro de tudo, então não é de se espantar que, as vezes, elas mintam sem se preocupar com as consequência de tal ato para as outras pessoas.


Curiosamente, estudos da psicóloga canadense Victoria Talwer demonstram que nesta idade as crianças já sabem que mentir é errado. Se você pedir para ela o que ela pensa sobre enganar os pais, ou os amigos, ela certamente vai dizer que é errado, independentemente do tipo de mentira. No entanto, por causa dessa dificuldade em perceber o ponto de vista das outras pessoas, não conseguem evitar.


É só com o passar dos anos e a diminuição do egocentrismo que as crianças passam a entender as consequências de suas ações e, portanto, entendem que mentir é algo que não devem fazer.


Esse mesmo desenvolvimento também permite que percebam a diferença entre as “mentiras boas” - como aquela sobre ter gostado muito da meia, mesmo tendo pedido um Lego de presente - e as mentiras ruins, classificando-as, principalmente, em relação aos efeitos negativos que essas podem ter.


E como lidar com isso?

Lidar com mentiras é verdadeiramente difícil, em todas as fases da vida. Porém, depois dessa breve explicação, dá para ver que entender o desenvolvimento das crianças pode ajudar.


Falamos que aos 2 anos as crianças já mentem e não percebem que isso pode ser prejudicial para as outras pessoas, mesmo sabendo que é algo errado. Se é assim, a primeira dica é ajuda-las nesse processo de perceber as consequências do que fazem.


Permitam que eles se desculpem e tentem remediar as situações causadas pela mentira. Isso, além de ajudar com o caso específico, auxilia na passagem pela fase do egocentrismo e no desenvolvimento da criança como ser social.


Fiquem atentos para a possibilidade da mentira, mas nunca chamem sua atenção na frente de todos, pois esse tipo de constrangimento pode ser prejudicial para a confiança que sentem em vocês.


Se perceberem que seus pequenos estão mentindo, não tentem fazer com que se contradigam. Mantendo sempre a calma, apontem para a mentira e mostrem as consequências negativas que esse comportamento pode ter.


As vezes, as crianças (e mesmo os adultos) vão mentir pois não percebem outra saída para determinado problema. Ajude-as a achar outras soluções par esses tipos de problema.


No fim das contas, a maior e melhor dica é sempre a mesma: Dar o exemplo. Mostrar que mentir não é a melhor solução para escapar de problemas ou situações desagradáveis e que podem ter consequências ruins.


É isso aí, pessoal.


Caso tenham interesse nesse assunto, ou em outros, mandem mensagens ou deixem aqui seus comentários, assim podemos escrever mais sobre os temas mais relevantes.


Obrigada e até a próxima.

0 visualização

Fale conosco, ou venha nos visitar. Estamos à disposição para responder quaisquer dúvidas que você, ou seus filhos possam ter.

(65) 2129-4603

contato@escolaceudebrigadeiro.com.br

Rua Pedro Biancardini (antiga Rua Caracas), nº 84

Jardim das Américas - Cuiabá

CEP 78060-597